O mais difícil para fazer um aplicativo parece que é a ideia mas não é

Acho interessante quantas vezes ouço que a pessoa gostaria de criar um aplicativo para colocar no mercado mas falta ideia do que desenvolver. Isso não deveria ser frequente mas é. E digo que não deveria pois há vários outros aspectos que são mais difíceis.

Sim, isso mesmo. Acredite em mim quando digo que ideia não é o difícil!

Há vários pontos que podem ter mais complexidade como o desenvolvimento em si, a definição de infraestrutura, custeio/financiamento do projeto e por aí vai.

Percebo que, muitas vezes, as pessoas têm essa dificuldade de saber o que podem desenvolver por dois motivos:

1. Falta de dedicação real em pesquisar e analisar possibilidades de projetos a serem desenvolvidos.

2. Falta de conhecimento ou treinamento em identificar e analisar nichos potenciais.

E, claro, há também a possibilidade da combinação de ambos os motivos.

Não é raro eu ouvir de recém formados, frases como “queria criar um aplicativo meu e comercializar mas não sei o que poderia fazer” ou mesmo “estou doido pra colocar um aplicativo meu no mercado mas não sei por onde começo”.

Para essas pessoas, as dicas que dou são:

  1. Considere um nicho, preferencialmente um que você conheça ou tenha convívio pois facilita os próximos passos.
  2. Encontre uma dor dessas pessoas que poderia ser solucionada por uma aplicativo de forma que seu aplicativo lhe traga um uma solução para o problema.
    Alternativamente, você pode também ter um aplicativo que potencialize uma sensação de prazer, de satisfação.
    Exemplo: um aplicativo que facilita o atendimento de pacientes em uma clínica traz maior produtividade, mais confiabilidade nos dados e, consequentemente, mais lucro e melhor controle. Problema resolvido!
    Outro exemplo: um aplicativo para planejamento financeiro para pessoas que têm um dinheiro sobrando, de forma que o aplicativo auxilie nas simulações de investimento e indique o melhor destino do dinheiro é uma ótima forma de trazer satisfação ao ver o dinheiro render.
  3. Analise se o nicho pagaria pela solução, se há potencial mercado pagador.
  4. Caso a resposta ao item 3 seja sim, dê início ao seu MVP. Caso não, analise novamente sua ideia ou parta para uma outra ideia.

Se você quer analisar um nicho para tentar conhecê-lo melhor, dê uma olhada no Audience Insights do Facebook (ou clique aqui para acessá-lo).

Agora, se você não faz ideia do que é um nicho, de como se usa o Audience Insights ou mesmo o que é um MVP, fique atento aos próximos artigos e nos próximos episódios de nosso canal do Youtube. Vamos voltar a falar disso!

 

2017-10-13T22:18:21+00:00

Sobre o Autor:

Hoje, tenho como projeto de pessoal o Sala de Aula .online com objetivo de colaborar com pessoas que querem empreender no mercado digital tanto desenvolvendo seus próprios aplicativos quanto produzindo seus treinamentos para EAD. Tenho formação como bacharel em Ciência da Computação, pós-graduações como MBA em Tecnologia da Informação, especialização Inovação e Gestão em EAD - USP e mestre pela FMRP-USP. Como experiência profissional e pessoal, sou idealizador do Sala de Aula .online, tenho experiência em desenvolvimento web de mais de 10 anos, professor no curso de Sistemas de Informação na Faculdade de Ribeirão Preto, orientador de mais de 1 dezena de trabalhos de TCC e orientador técnico de projeto de mestrado, orientando e acompanhando vários alunos, além de autor de projetos de pesquisa científica e acadêmica.

Deixar Um Comentário